3 Formas para limpar nome sujo

Saiba como um consumidor deve limpar seu nome de um cadastro de restrição, veja as três formas conhecidas para limpar nome sujo: renegociação, processo jurídico e prescrição.

Renegociação
Quanto a renegociação, este é o melhor caminho a ser seguido por quem deseja limpar o próprio nome.

Não está implícito aqui que o consumidor deva aceitar a primeira proposta que o credor oferecer, mas questionar e buscar aquilo que for melhor para o seu bolso e sua capacidade de pagamento.

Quando uma renegociação envolve parcelamento da dívida, após o pagamento da primeira prestação ou da entrada o nome do consumidor já é retirado do cadastro de restrição – conta-se um período de até cinco dias úteis após o primeiro pagamento para que isto ocorra.

Pensando nesta possibilidade e, para facilitar e agilizar o processo de negociação entre credor e devedor, os órgãos de proteção de crédito no Brasil começaram a realizar Feirões, tanto regionais quanto on-line. Dois eventos desses são o Feirão Limpa Nome e o Acertando Suas Contas.

Processo Jurídico
Nos casos em que o nome do consumidor tenha sido colocado indevidamente no cadastro de negativação, o melhor a fazer é entrar em contato com a empresa que o negativou para mostrar-lhe o erro e exigir que seu nome seja retirado da negativação. Se mesmo assim a empresa mantiver o nome do consumidor negativado, uma ação judicial deve ser feita a fim de que seja feito o melhor para ambas as partes.

Prescrição
A terceira forma de se limpar o nome, e a pior de todas, é a prescrição. Consiste basicamente em deixar passar um período de cinco anos a contar da dívida, período em que a anotação de inadimplência deixa de constar no cadastro para consulta.

Contudo, como atualmente a Serasa usa um sistema de Score – pontuação – o consumidor que deixar sua dívida prescrever poderá demorar mais oito anos para provar que se tornou um bom pagador, antes que o mercado lhe abra crédito.

2 Comentários

  1. Renato da Silva 5 de dezembro de 2016
  2. Áurea Cruz pereira 4 de novembro de 2014

Deixe um Comentário