Constrangimento causado pela Pontuação Score Serasa

A pontuação de crédito do Score Serasa ainda levanta uma série de questões que merecem ser levados em consideração. Ainda há muitos casos de pessoas que pagaram suas dívidas, e hoje se encontram com seu CPF regularizado perante os órgãos de proteção ao crédito. Mesmo depois de quitados todos os seus débitos, agora é preciso recriar todo o seu histórico para alcançar uma pontuação que lhe defina como um bom pagador.

Por mais que todas as empresas do mercado estejam usando o sistema Score de pontuação – e as que não usam vão usar, é tendência – alguns funcionários mal treinados acabam sem repassar informações pessoais aos próprio indivíduo que teve sua fama de mau pagador divulgada para o mercado.

A Serasa argumenta que o Score Crédito foi criado para proteger o próprio consumidor contra o superendividamento, estimulando a sustentabilidade do mercado de crédito, colaborando para manter saudável o fluxo das relações econômicas no país.

O cálculo da pontuação do Score Crédito leva em consideração as ifnormações contidas nos bancos de dados da Serasa Experian, mais dados coletivos e fatores econômicos que possam influenciar no compromisso financeiro e outras circunstâncias relacionadas ao consumidor. Conforme esses dados se alterem, a pontuação Score também muda.

Algo que é importante salientar é que, cada vez mais empresas estão utilizando o Score de Crédito como ferramenta para decidir a concesão de crédito. Apesar disso, a aprovação ou não-aprovação de crédito depende apenas das regras estabelecidas pelas empresas, sendo que o Score é apenas mais uma ferramenta de análise, então, a Serasa Experian não interfere quanto a decisões das empresas.

Sendo assim, o consumidor se encontra diante de duas posições diferentes. A primeira seria se conformar com a utilização desta ferramenta de análise de crédito e reconstruir um boa reputação quanto a ser bom pagador.

Para tanto o consumidor deve, em primeiro lugar, ficar um longo período sem solicitar nenhum tipo de crédito, pois cada análise de crédito feita e negada, diminui sua pontuação.

Em segundo lugar o consumidor pode reconstruir seu histórico de crédito começando pelos seus dados cadastrais. Isso pode ser feito pelas iniciativas como o Cadastro Positivo da Serasa Experian.

O consumidor também pode manter sua conta corrente sempre com saldo positivo, além de efetuar pagamentos sem atraso para contas simples, como água e energia elétrica.

A segunda seria solicitar judicialmente a retirada de seu nome do Score Crédito.

Mais de 100 mil ações judiciais esperam resposta no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Este caminho se torna difícil, ainda mais depois que o STJ considerou a prática como legal, em 12 de novembro de 2014, entendendo que o Score Credito não é exatamente um cadastro, mas um modelo estatístico que utiliza informações pre-existentes.

Aqueles que questionam a legalidade do Score Credito levam em consideração o Código de Defesa do Consumidor, que no artigo 43, § 5º diz: “Consumada a prescrição relativa à cobrança de débitos do consumidor, não serão fornecidas, pelos respectivos Sistemas de Proteção ao Crédito, quaisquer informações que possam impedir ou dificultar novo acesso ao crédito junto aos fornecedores.”

15 Comentários

  1. Raquel de Sousa silva 27 de fevereiro de 2018
  2. Raiane 23 de novembro de 2017
  3. Adriana Regina Costa Mosna 18 de outubro de 2017
  4. Jane Arlete Anastacio de Melo 20 de setembro de 2017
  5. Andreson Inácio Da Silva 16 de setembro de 2017
  6. Rosangela 8 de junho de 2017
  7. aline cintian porto oliveira 15 de maio de 2017
  8. Mauricio Tavares 6 de março de 2017
  9. Laura paula 19 de fevereiro de 2017
  10. fatima 10 de janeiro de 2017
  11. Elaine Trindade Santos 14 de novembro de 2016
  12. Brígida Pinto Santos 9 de novembro de 2016
  13. francisco 6 de outubro de 2016
  14. Daniela da Silva Gomes 23 de junho de 2016
  15. stefani 13 de agosto de 2015

Deixe um Comentário