Empréstimo para limpar nome sujo

Uma das primeiras coisas a ficar fora do acesso de quem está com nome sujo, é o acesso ao crédito. Até bem pouco tempo as únicas pessoas que conseguiam empréstimo sem limpar nome sujo eram os funcionários públicos, aposentados e pensionistas do INSS, na modalidade do crédito consignado. Com um salário fixo e estabilidade profissional garantida pelo estatuto do funcionalismo público ou pela situação de aposentado, conceder um empréstimo para este público é algo seguro – ainda mais com o desconto das prestações em folha de pagamento, o que impede o calote.

Contudo, a imensa maioria dos cidadãos brasileiros não possui esta estabilidade, e durante muito tempo não havia a menor possibilidade de uma pessoa com CPF na Serasa ou em outros órgãos de proteção ao crédito conseguirem um empréstimo – se bem que o empréstimo que se aborda aqui é aquele que tem como objetivo quitar a dívida.

De alguns anos pra cá, especialmente a partir de 2009, surgiram alguns serviços de empréstimo sem consulta ao CPF do consumidor, mas usando garantias como penhor de jóias ou uso de cheque – porque sim, se a negativação do nome de uma pessoa ocorreu a pouco tempo, os talões de cheque impressos antes disto e ainda não utilizados continuam valendo, desde que respeitem o prazo de 180 dias de emissão.

Quem quer que busque um empréstimo para quitar suas dívidas deve analisar com calma a sua situação, e colocar na ponta do lápis se o re-financiamento da dívida realmente vai compensar. Afinal, sua dívida já tem juros embutidos, e o refinanciamento pode muito bem aumentar esses juros ao ponto de tornar esta manobra financeira indesejável para o bolso.

Deve-se analisar o montante final da nova dívida, a capacidade de pagamento das parcelas e se não vai ocorrer um novo deslize financeiro devido ao assumir um novo compromisso financeiro.

Outra recomendação é que se procure um banco ou uma financeira conhecida e já bem estabelecida no mercado, para minimizar as possibilidades de se tornar vítima de fraude – há pseudo-financeiras no mercado prometendo empréstimos milagrosos sem consulta ao CPF, liberados na hora, mas que na verdade não são mais que um esquema de fraude onde se exige do consumidor o pagamento antecipado de taxas caríssimas para o padrão de empréstimos.

Caso o empréstimo esteja sendo tratado por um correspondente bancário, é importante que o consumidor tenha o máximo de informações possível do correspondente.

Documentos necessários pra o empréstimo

Os documentos necessários para este tipo de empréstimo costumam ser poucos, e seu processo burocrático é relativamente simples se comparado com o empréstimo consignado em folha de pagamento. Apesar de simplificado, trata-se de um processo com suas características próprias e condições que variam de acordo com a garantia oferecida.

Em geral, estes documentos são: comprovante de residência, carteira de identidade e cadastro de pessoa física, comprovante de renda – um contra-cheque costuma bastar. Algumas empresas também possuem convênio com bancos ou financeiras, o que faz o processo bem simples ou com garantia de juros mais baixos.

2 Comentários

  1. jurandy gesualdi 14 de novembro de 2016
  2. hugo pereira de araujo 23 de dezembro de 2014

Deixe um Comentário